quinta-feira, 10 de fevereiro de 2011

mais uma bela fuga com antony and the johnsons


Para os desavisados, a música do Antony and The Johnsons pode soar muito dramática, exagerada. Mas para quem está afim de se aventurar em seu universo, ou acompanha a total entrega, instrumentação de primeira linha, com belos arranjos, que Antony Hegarty interpreta de forma bela e singular num canto soturno desde o intenso e inesquecível álbum homônimo de 1998, verá uma arte sublime neste Swanlights, 4º álbum de estúdio, que incrementa com novas e misteriosas paisagens a massa de seu consistente legado .

A primeira faixa, "Everything is New", vai crescendo até agarrar o ouvinte, e daí em diante é cada vez mais para o fundo, no piano que te chama e te carrega em "Ghost"; na hipnótica "Swanlights", com canto e intrumentação que remete a um sonho dentro de um sonho, num dia de neblina e chuvisco.

"The Spirit Was Gone" é uma música tocante, que dialoga com momentos do 1º álbum. "Thank You For Your Love" tem clima leve, uma saudação de agradecimento após a tormenta, com ótimos metais do meio em diante, para dançar e cantar junto.

Antony convida a também excêntrica e sempre ótima Björk para contribuir com sua voz em "Flétta", o que é, aliás, uma retribuição pela contribuição de Athony nas faixas " The Dull Flame of Desire" e "My Juvenille" em seu álbum Volta.

Na última canção da obra, "Christina’s Farm", Hegarty com seu piano se encarrega de fazer o que faz como poucos, emocionar e deixar a certeza de que só uma pedra é capaz de passar ileso por sua música.

Nenhum comentário:

Postar um comentário